Altar de Santo António/St. Anthony

07-07-2021

Este altar de Santo António foi primeiramente encomendado pelo Bispo do Funchal D. Fernando da Távora em 1572. Foi encomendado por Álvaro de Ornelas Savedra da sua segunda esposa D. Branca Fernandes de Abreu. A sua configuração actual data de finais do séc. XVII, ou inícios do séc. XVIII. 

Apresenta na secção inferior, quatro colunas spseudo-salomónicas de talha esculpida.

Ao centro grande escultura de Santo António  de uma oficina portuguesa de finais do séc. XVII.

A secção superior repete a estrutura inferior e ao centro, em nicho a escultura de São Brás ou São Martinho. O conjunto é rematado por frontão interrompido, envolvendo a rosácea primitiva, ladeada por dois anjos tenentes recostados.

Todo o retábulo é da autoria do mestre Manuel Pereira de Almeida que em 1697 já havia começado o trabalho do retábulo.

As pinturas são atribuídas ao pintor flamengo da Corte do Rei Filipe II, Michel de Coxci.

Ao lado de São Brás podemos ver duas pinturas. A da esquerda retrata S. António a livrar o pai da morte; e a da direita S. António pregando aos peixes. 

Podemos ver cópias das pinturas originais que se encontram atualmente no Museu de Arte Sacra do Funchal.

Do lado esquerdo: São Jerónimo e a Vocação de São Mateus.

Do lado direito: o Diácono São Lourenço e as chagas de São Francisco de Assis.

No centro do altar a imagem de Santo António com o Menino-Deus.


Sepultura de D. Aires de Ornelas, Bispo do Funchal madeirense. 


Sepultura em pedra da Arrábida de Álvaro de Ornelas e sua esposa.