Palavras do Cónego Marcos no início do seu ministério como Pároco da Sé

19-09-2020

Palavras do cónego Marcos Gonçalves

Na tomada de posse na Sé do Funchal

20 de setembro de 2020

Excelência Reverendíssima Sr. Bispo do Funchal, D. Nuno Brás.

Caríssimos irmãos e irmãs,

Quero agradecer o Sr. Bispo do Funchal, D. Nuno, a confiança depositada em mim para iniciar uma nova etapa na minha vida sacerdotal, ao serviço no coração da cidade do Funchal, como pároco da Sé do Funchal.
Volto ao centro do Funchal com consciência do desafio e da missão. Aqui estou para servir e colaborar com Vossa Excelência Reverendíssima com total reverência, lealdade e obediência, respondendo com todo o meu coração.

Aceito o desafio com total confiança em DEUS, que todos os dias renova o chamamento a servi-l'O com total disponibilidade, não confiando apenas nas minhas capacidades, nem desanimando na fragilidade do vaso de barro que sou, mas na força e na Misericórdia de Deus que chama, que capacita e que envia para a missão. 

Uma saudação à minha família, à minha mãe e ao meu irmão e demais família aqui presente. Aos amigos. Obrigado pela vossa presença na minha vida. Por estarem sempre presentes em todos os momentos. Por serem a forma mais visível de Deus estender a sua mão e me apoiar incondicionalmente. Sinto o meu pai sempre presente. Junto de Deus interceda por mim. 

Uma saudação aos paroquianos de São Martinho que reconheço aqui presentes e agradeço toda a caminha de igreja, de vida paroquial que realizamos em conjunto. Toda a amizade, colaboração e carinho.

Uma saudação ao Sr. Cónego Vítor. Obrigado pela hospitalidade, pela fraternidade sacerdotal. Agradeço o seu acolhimento e atenção ao longo destes dias. Desejo-lhe as maiores felicidades na sua nova missão na paróquia de Santa Cruz.

Uma saudação a todos os paroquianos da Sé e a todos os que escolhem esta grande e bela igreja para celebrar a sua fé, para visitar e conhecer o nosso património e a nossa história.

Aqui estou na igreja da Sé para servir. Encontro-me aqui, como disse o Papa Francisco para habitar no meio de vós, e permitir, deste modo, que Jesus actue, emprestando-Lhe a minha vida, o meu coração, todo o meu ser. Permitam-me que nesta hora eu possa bater delicadamente à vossa porta. À porta do vosso coração. Peço licença para entrar e habitar convosco, caminhar convosco. Ser padre, sacerdote para vós, ser cristão convosco.

Possamos juntos continuar a história desta Igreja, desta comunidade paroquial no coração da cidade. Uma igreja de portas abertas para abraçar e acolher, ser morada de Deus, ponto de encontro de Deus com a nossa vida quotidiana feita de sonhos e projetos, de dores e esperanças. Uma igreja de portas bem abertas, também para sair e transportar Deus ao coração de todos, ao coração da cidade. Uma igreja em diálogo com as diversas formas de cultura, com a arte e com a beleza. Renovando tudo com a força e a beleza do Evangelho. Aproximando o Evangelho ao Povo, à cidade, às pessoas.

É necessário que se faça uma decisiva escolha missionária, como diz o Papa Francisco, capaz de transformar tudo, para que os costumes, os estilos, os horários, a linguagem e toda a estrutura eclesial se tornem um canal proporcionado à evangelização do mundo atual, dos homens e mulheres do nosso tempo.

É uma grande missão! Mas é uma bela e entusiasmante missão! Como posso abraçar esta missão? Como serei capaz de a realizar? Certamente não a posso abraçar sozinho. Devo antes de tudo deixar que Deus atue em mim e através de mim e da comunidade que somos. Devo confiar em Nossa Senhora e deixar que Ela seja Mãe de Misericórdia, Mãe de todos, Mãe da Igreja. Seja estrela que conduza os nossos passos a Jesus.

Devemos juntos trabalhar e colaborar nesta entusiasmante missão. Contar com todos, para chegar a todos. Caminhar com Cristo com renovado ardor. Juntos, unidos na beleza da grande diversidade das vocações e carismas. Conto com o padre Simões e padre Gil, como meus colaboradores e com os padres confessores. Conto com os seminaristas que irão fazer pastoral na nossa paróquia. Conto com os sacristães e funcionários. Conto convosco, com cada um de vós, com os dons que cada um recebeu para contruir Igreja, para contruir comunidade, para ser sinal do Amor e da compaixão de Deus, para colocar-se ao serviço de Deus, ao serviço da Igreja.

Sejamos uma Igreja que adora, que celebra, que reconcilia, que anuncia a Palavra da Esperança, uma Igreja atenta, próxima. Uma igreja com coração.

Nossa Senhora da Assunção, Padroeira da Catedral do Funchal, interceda por todos nós.

Deus a todos vos abençoe.

Louvado Seja nosso senhor Jesus Cristo.

Devemos juntos trabalhar e colaborar nesta entusiasmante missão. Contar com todos, para chegar a todos. Caminhar com Cristo com renovado ardor.